Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

24 fevereiro 2009

Lillias Fraser


A propósito deste seu livro, Hélia Correia confessou, numa entrevista, que se tinha apaixonado mesmo pela protagonista, Lillias. De tal forma que a separação lhe pareceu penosa, quando acabou de escrever o romance.
O mesmo sentimos nós, leitores, ao deixarmos partir este ser algo insólito, com um olhar que perscruta a vida à procura da morte nos que com ele se cruzam.
A história desta menina que, ao mesmo tempo, atrai e assusta, cruza-se com alguns momentos da História do século XVIII: a batalha de Culloden, na Escócia, mas também o terramoto de 1755, em Lisboa.
É igualmente o relato de uma viagem que termina em Portugal, com passagem por Mafra e Setúbal, não sem uma alusão à Arrábida. Nesse percurso habitado por muitos seres, Hélia Correia fez Lillias cruzar-se com Blimunda Sete-Luas, personagem de uma outra história, Memorial do Convento, não sem ter pedido autorização a José Saramago...
Na entrevista já referida, a autora não considera Lillias Fraser um romance histórico, mas admite ter revisitado a História, através de livros, depois de uma viagem à Escócia. E foi assim que a pequena Lillias saiu do campo de Culloden para as páginas deste livro.
Lillias Fraser ganhou o Prémio D. Dinis 2002 (ex-aequo com Marcello Duarte Mathias) e o Prémio do Pen Club Português 2001, na categoria de romance.
Foi um dos livros seleccionados para a Fase Distrital do Concurso Nacional de Leitura (secundário).
Para além disso, é um livro que vale a pena ler.
AP

15 fevereiro 2009

Apanhados a Ler

Cá estamos nós outra vez! Sabem, nós somos como aquele pedacinho de lã que se ata no anel para que não nos esqueçamos de algo que é muito importante. E o que é muito importante? A participação no Concurso "Apanhados a Ler". Pensavam que já tinha acabado o prazo? Não! Ainda vão a tempo, mas não demorem, pois falta pouco. Mãos à obra! Vá rápido...
CC

11 fevereiro 2009

Passaporte de Leitura


Vamos descobrir quem são os maiores leitores neste ano lectivo de 2008/2009.

Ainda não tens o teu passaporte? De que estás à espera? Na tua Biblioteca, à tua espera está o teu passaporte de leitura. O caminho é feito pelas tuas mãos.

CC

05 fevereiro 2009

Dia Europeu da Internet Segura


O tema da segurança na Internet, pela sua vastidão, pela sua pertinência e, acima de tudo, pela sua importância, presta-se ao desenvolvimento de um conjunto de actividades onde o espaço escolar é, sem dúvida, o local de eleição e o jovem, o principal actor, desempenhando em simultâneo o papel de mentor e de destinatário.
Ao pesquisar online os utilizadores podem alargar os seus conhecimentos pessoais e comparar diferentes perspectivas de abordagem sobre determinado conteúdo ou assunto. Todavia, esta forma de pesquisa acarreta riscos, nomeadamente, ao nível de:
conteúdos ilegais (pornografia infantil, racismo, difamação, publicidade sobre drogas ilegais, ameaças); conteúdos nocivos (pornografia e linguagem para adultos, violência, informação sobre seitas); conteúdos falsos (dar por certa informação que é falsa).
Assim, com o objectivo de assinalar o DIA EUROPEU DA INTERNET SEGURA vão decorrer na nossa ESCOLA três sessões de esclarecimento no dia 10 de Fevereiro dedicadas a este tema.
CC

"Diário:Tenho saudades"

Querido diário,
Já tenho saudades do tempo em que era uma criança. Tenho saudades dos meus ténis
brancos e de brincar no parque da cidade. Tenho saudades das minhas tranças. Tenho saudades de não ter preocupações, saudades da minha inocência.
Tenho saudades dele.
Hoje, mais um dia, abri os olhos e respirei fundo o ar gasto de uma noite igual a tantas outras. Ao meu lado, o homem com quem me casei, pai da minha filha (Ai! O meu marido...), ressonava e a sua saliva manchava a almofada.
Levanto-me e vou ver a única coisa que me importa: a minha filha ainda dorme.
Vou fazer o pequeno-almoço: café para ele, cereais para o meu anjo... E eu não tenho fome. Nunca tenho fome. Sinto-me vazia.
Está tudo em silêncio até eles chegarem. Eles comem... e eu não tenho fome.
Saímos de casa, começa a rotina esquizofrénica. Como sempre, sou eu quem leva a pequena à escola. Corro para o trabalho, o mesmo trabalho de sempre, aprisionada no império dos papéis. Que monotonia... Que tédio... Que abulia... Que solidão... Que desespero...
Tenho saudades dele.
O trabalho nunca mais acaba, olho para a janela e vejo o parque onde costumava brincar. Pensei para mim: se calhar passo por lá quando sair.
Conto as horas para me ir embora.
Finalmente saio e respiro o ar fresco que vem do parque. Como é possível passar por aqui todos os dias e nunca passear nem tirar um minuto para apreciar e recordar os momentos passados aqui?
Sento-me no banco, como se esperasse alguém que nunca vem.
Será que ele vem? Não sei porquê, tenho essa esperança.
Tenho saudades dele.
O tempo passa, ele não vem.
Vou para casa, volto para o vazio da minha vida, para a monotonia do meu dia-a-dia.
No parque o tempo pára.
Talvez passe outra vez por cá, amanhã. Talvez ele venha, amanhã...
Tenho saudades dele!
Adeus, amanhã será outro dia.
André Graça, Cátia Luz, Ruben Gomes
Dezembro 2008
Muito bonito não é? Foi o texto vencedor do Escalão D, Equipa C do Concurso Leituras & Companhia. A obra a concurso era Uma Cana de Pesca Para o Meu Avô. Os nossos parabéns!!!
CC

Literacias 3 DI

LITERACIA 3Di é uma iniciativa da Porto Editora que consiste num desafio nacional dirigido aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Bás...