Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

23 junho 2009

Ser leitor é...


Reflexão a propósito de Tia Suzana, Meu Amor
de António Alçada Baptista
10ª edição: 2001
Editora: Editorial Presença

Ser leitor permite-nos conhecer mundos, possibilita-nos também (mas não só) o acesso a aventuras, pensamentos, às histórias das vidas de outros para que, eventualmente, possamos compreender melhor a nossa.
Enquanto leitores, habituámo-nos a confiar no que lemos, a deixar que o livro, objecto sagrado, faça parte daqueles seres que levaríamos para qualquer ilha deserta, de acordo com aqueles tão conhecidos questionários. E esse é um direito que quero preservar.
Ultimamente, a propósito do Concurso Nacional de Leitura, uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura (PNL), em articulação com outros organismos, li Tia Suzana, Meu Amor, obra seleccionada para a 3ª fase, Ensino Secundário. Pretendia-se, com a escolha, homenagear o autor falecido em Dezembro de 2008. Uma boa intenção.
Como se pode ler na contracapa, é "um belo livro que conta a história de uma paixão lenta (que percorre todo o texto como uma melodia) de um jovem beirão pela sua tia."
É, acrescento eu, um relato feito de memórias e reflexões, escrito numa primeira pessoa com a qual facilmente estabelecemos cumplicidades.
A escrita é "sedutora", como esperávamos de Alçada Baptista, "feita de registos subtis" - continuo a citar o texto da contracapa.
Esta reflexão poderia terminar aqui, se não fosse a vontade que sinto de exercer o meu dever de leitora...
O autor não merecia que mãos e olhos displicentes tivessem maculado a sua escrita com a inclusão de quiz, descançaram (página 29); descanço, sossêgo (página 38); descançar, descançava (página 39); descanço (página 44); dispensa por despensa (página 73); mágua (página 83); mez (página 95).
Enquanto leitora, sabendo que imensos jovens liam o mesmo que eu, denunciei a situação. Fi-lo junto da editora, sem ter obtido qualquer resposta. O PNL justifica a escolha com o objectivo da homenagem.
Eu, leitora exigente e também professora de Português, continuo a considerar negativa a existência de livros com erros que não são para caçar... Privilegio leituras verdadeiramente descansadas e sei que os nossos autores - ainda que fisicamente ausentes, mas também por isso - merecem melhor.
AP

Em jeito de balanço


O ano lectivo está a chegar ao fim. Inicia-se um período de reflexão. Desta vez, sobre o Concurso Leituras & Companhia.
Existe já há dois anos, vai na 6ª edição e tem, de facto, feito com que os nossos alunos, professores e até encarregados de educação leiam+. Foram várias as propostas de leitura e bastante participadas as sessões que, desde o ano lectivo passado, decorrem na biblioteca. Do 3º ao 12º anos, muitos alunos aceitaram o desafio, leram e escreveram+. É claro que lhes agradecemos. Para os outros, aqueles que ainda não se deixaram tentar, fica o convite.
Também para os professores uma palavra: sem vós (nós) tudo teria sido diferente, para pior, decerto. O nosso agradecimento aos que incentivaram, aos que colaboraram, elaborando questionários, corrigindo provas de escrita, reforçando a leitura.
Os encarregados de educação que já ousaram participar e que acompanharam os alunos noutras leituras também estão de parabéns.
E não queremos esquecer que este nosso concurso, na sua versão "caseira", seleccionou os alunos que participaram na final distrital e os que marcaram presença na final do Concurso Nacional de Leitura.
Neste tempo de reconhecimento, fica também uma mensagem: esperamos as vossas sugestões e a vossa presença noutros concursos.
Boas férias com +leituras.
AP

11 junho 2009

Poesia para todos!


Durante esta semana, pais e família vieram à escola ler e ouvir poesia. Estas iniciativas inserem-se no âmbito do projecto aLer+, que tem como grande objectivo a promoção da leitura. Uma nota de reconhecimento às professoras Dina Chora, Amélia Pires e às respectivas turmas (8º A e 8º B) que se empenharam na realização destes encontros.

Que o gosto pelos livros se enraíze e cresça...

09 junho 2009

Apanhados a Ler


Foi com grande prazer que recebemos os trabalhos para o Concurso Apanhados a Ler. É sempre motivo de alegria ver a magia individual da leitura a ser exteriorizada através dos olhos do artista, seja ele pintor ou fotógrafo. Após árduas deliberações o júri chegou às seguintes conclusões:
- categoria de fotografia, 1º lugar,Dulce Martins; 2º lugar,Ana Tique; 3º lugar, José Branco.
- categoria de pintura, alunos, 1º lugar, Rita Paulino; 2º lugar, Diogo Apresentação; 3º lugar, Bruno Apresentação.
- categoria de pintura, adultos, Maria Judite Costa.
Agradecemos a todos a participação e os excelentes trabalhos que connosco partilharam. Obrigada.
CC

Passaporte de Leitura

Lembram-se daquela brincadeira muito infantil que termina com "1,2,3 acabou-se o prazo"? Então é mesmo isso. Acabou o prazo. Está na altura de entregar os vossos passaportes pois as férias estão a chegar e eles são necessários. Para quê? Bem, neste caso foi o contrário: viajaram antes, através da leitura, agora recebem o prémio. Rápido! O tempo esgota-se! Estamos à vossa espera.
CC

02 junho 2009

Origami na Biblioteca

Origami é a arte japonesa de dobrar o papel. A origem da palavra advém do japonês ori (dobrar) e kami (papel) que, ao juntar as duas palavras a pronúncia fica "origami". Geralmente parte-se de um pedaço de papel quadrado, cujas faces podem ser de cores diferentes, prosseguindo-se sem cortar o papel.
Segundo a cultura japonesa, aquele que fizer mil origamis (tsuru = garça) teria um pedido realizado. Ora os nossos colegas do 9ºC , na displina de Área de Projecto com a Professora Emília Paula Alves, não fizeram mil origamis mas presentearam-nos com belos e coloridos exemplares de diversos animais e outras representações que decoraram a nossa Biblioteca durante uma semana. Gostámos muito da iniciativa e esperamos que se repita.
Até à próxima.
CC

Literacias 3 DI

LITERACIA 3Di é uma iniciativa da Porto Editora que consiste num desafio nacional dirigido aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Bás...