Concurso Nacional de Leitura

23 janeiro 2008

O velho que lia romances de amor


Preparem-se para mais um romance inesquecível, pelas mãos de Luís Sepúlveda. Venham conhecer o sr. Proaño, que vive numa aldeia isolada na região amazóniza, habitada pelos índios xuar. Um dia decide ler romance de amor, mas de amor verdadeiro daquele que faz doer, chorar e que lhe são trazidos pelo dentista que visita as aldeias. E é assim, que um pedido tão simples no abre a porta para um universo mágico, desconhecido, com emoçoes tão reais que não conseguimos parar de ler, como um vício, e o fim chega depressa demais.



CC

Sem comentários:

Relação Escola-Família (crónica de João Paulo Amaral)

Não deixa de me espantar a veleidade com que algumas famílias e encarregad@s de educação tratam a escola e os professores. Ao mínimo sin...